Acerca de mim

A minha foto
"Não há nada que não se consiga com força de vontade, com bondade e,sobretudo, com amor". M. Cicero

27 março, 2012

Mudanças e anticorpos.

Hoje enquanto lia um post da minha amiga Marta no http://marta-dolcefarniente.blogspot.com.es/ fiquei mais descansada ao perceber que há mais almas como eu, para quem as mudanças são um desafio constante.

Faz-me imensa confusão as pessoas que vivem as rutinas ao extremo, com dias e horas e momentos para tudo e que, caso contrário, desenvolvem anticorpos. Mas, ao memso tempo, confesso que preciso de alguma estabilidade, de algum chão para me centrar e poder fluir. Sem essas referências sinto-me como uma folha a voar pelo ar, que hoje pousa aqui, amanhã ali, sem qualquer tipo de controle da direcção ou velocidade.

Para os que me têm acompanhado de perto nestes últimos anos sabem que a vidinha certinha e organizada de Lisboa ficou lá longe, muito atrás, distante, como se fosse a de outra pessoa. E que desde então tudo mudou. Mudei de vida, de trabalho, de país, de cidades, de casa (várias vezes) mas há uma coisa que se mantem: Eu.  Mas um "Eu" com mudanças.

As minhas rotinas são hoje muito mais básicas e estou a aprender a aceitar que nada é permanente. Temos que ser o mais feliz possivel, hoje e agora, porque amanhã não sabemos onde vamos estar.

Esta aprendizagem fez com que resistisse durante meses a transformar o apartamento onde vivemos na "nossa casa". Sei que a nossa estância nesta cidade é passageira e por isso dizia a mim própria que não valia a pena. Mas depois de muito resistir, um dia decidi que não fazia sentido e ainda bem que mudei de opinião. Agora tenho o meu cantinho, elemento fundamental na tal estabilidade de que vos falava. E quando chegar o momento de uma nova mudança, sei que posso voltar a fazer tudo de novo. E que isso não constitui um problema.

E em qualquer lado posso criar rotinas. Plantar plantas e flores. Reler livros. Decorar. Estar sentada no sofá a olhar pela janela. Andar. Ir ao ginásio. Dançar. E mais importante que tudo, Amar.

O amor dá sentido à vida e os amigos ajudam muito a saber quem somos e onde estamos.

Com isso é suficiente.

M.

3 comentários:

Anónimo disse...

Ora nem mais! :) aproveitar tudo o que cada situação nos dá.

Ana Valente disse...

Os nossos modelos mentais e aquilo que tomamos como verdades absolutas podem ser realmente barreiras cheias de arame farpado... E então quando nem notamos a sua influencia devastadora...Acabamos numa situação em que vemos as mesmas coisas recorrentemente, agimos sempre da mesma forma, não aprendemos nada porque nos recusamos a interiorizar a mudança, e, como tal, produzimos sempre os mesmos resultados... Ora, acontece que a aceitação é muito bonita nos casos em que EFETIVAMENTE nada há a fazer, e nós, assim como o Mundo em geral, constatamos que se trata de uma parede que não vai sair daquele lugar... Mas mesmo aí... podemos sempre pendurar lá um quadro...

Marta Anico disse...

Pois, pois... A transformaçao interior é bem mais difícil de alcançar que qualquer outra mudança. Nao é impossível, só mesmo difícil de incorporar. Mas quando sentimos a necessidade de mudar e insistimos (como com abdominais) acredito que seja possível alcança-la. And you know what I mean...
PS. Adorei a imagem do quadro na parede inamovível. Já que nao há nada a fazer, vamos torná-la mais bonita:)